Perki apesenta oficialmente seu álbum de estreia, ouça "OLHOS MUDOS"


Recheado de ideias diretas, recebemos o primeiro projeto solo do rapper PERKI na cena. O artista de 26 anos, vem diretamente do Rio Grande do Sul, simplesmente apresentando um clássico, e nos deixa muita rima de qualidade com sua forma de enxergar o mundo no lançamento do seu primeiro álbum nomeado "OLHOS MUDOS"

O álbum vem composto por 11 faixas, mostrando o quanto o artista é versátil, fugindo de se prender em apenas uma estética musical. A produção do álbum foi feita inteiramente pelo próprio artista, responsável pelos instrumentais, gravação, mixagem e masterização, contando apenas com dois beats assinados por outros beatmakers.

O projeto OLHOS MUDOS carrega um intuito único, na tentativa de gerar uma aproximação de sua arte com os ouvintes, tendo suas composições como um grande "Bote a cabeça pra pensar". Ouça o material abaixo pelo Youtube:



Trocamos um papo com o artista sobre o álbum e tiramos uma visão de seus próximos na cena. Leia abaixo: 

VI$H: Como foi o processo criativo do álbum?
Perki: Me considero um artista bem eclético, não gosto de me prender em apenas 1 estética musical. Gosto de  variar o estilo de batidas e assuntos, afim de atingir o meu público em diferentes momentos da sua vida. Momentos alegres, festivos, momentos mais tristes e de reflexão, momentos de euforia e etc. Mas mantendo em todas as faixas o meu conceito artístico bem forte, que é baseado na minha visão sobre o mundo.

Como eu sempre falo, a música mudou a minha vida, diversos álbuns ajudaram na minha formação como ser humano, por isso eu sou apaixonado por músicas ricas em conteúdo. E é assim que eu compôs o meu álbum de estreia. "Olhos Mudos" é um álbum cheio de músicas que passam mensagens positivas e de reflexão, sempre ressaltando a confiança que tenho no meu trabalho, e faço também uma crítica bem forte ao senso comum.

Pra chegar no produto final do álbum, que são 10 faixas e 1 interlúdio, eu tive que compôr muito mais que isso, ao total foram 40 e tantas faixas até a escolha das que mais se encaixavam no contexto.

VI$H: E a produção? Você realizou toda a produção do álbum, como foi a escolha dos beats?
Perki: Sim, eu mesmo escrevi, gravei e produzi todas as músicas do álbum, com exceção de apenas 2 beats, que comprei de outros produtores. Além disso, também editei todos os vídeo-clipes do álbum. E cara, eu gosto de escolher as beats pelo feeling da bateria com a melodia, o sentimento. Normalmente a gente já sente na hora quando a beat é boa, só pelo balançar da cabeça quando ela toca hahah. Gosto daquelas beats que, só ao ouvir, ela mesmo já te diz o que escrever, tu nem precisa pensar muito.

VI$H: Como surgiu o nome do novo álbum e por que “Olhos Mudos”?
Perki: O nome do álbum surgiu enquanto eu fazia uma poesia no quintal da minha casa, no começo de 2018. No meio da poesia, eu escrevi essa expressão, olhei pra ela 2 vezes e pensei: isso dá um belo nome de álbum! Além de se encaixar perfeitamente com a mensagem que queria passar, então já saquei na hora que seria o nome perfeito pro meu álbum de estreia solo. Inclusive, essa poesia está dentro do álbum como um interlúdio.

"Olhos Mudos, não cegos! Que fique bem claro, esse é o manifesto." - Verso da faixa "Olhos Mudos", música tema do álbum.



VI$H: Qual a principal visão por traz de "Olhos Mudos"? O que você espera que o publico absorva?
Perki: Trago como foco principal a expressão "Bote a cabeça pra pensar!". Quero fazer a diferença na vida de quem me ouve, através das mensagens das músicas, fazer parte da vida mesmo, assim como diversos álbuns e artistas fizeram na minha. Acredito que a cena atual está focada principalmente no entretenimento, o que não tem nada de errado, mas eu senti que existia uma brecha no mercado, de músicas que trouxessem um mensagem forte, aquela sensação educacional, que é a característica raiz do RAP. Estudei essa brecha e fui a fundo, juntei com a sonoridade atual de beats e estética musical, e assim nasceu o álbum.

O diferencial do que falo aqui, é a profundidade na composição das mensagens, na entrega que coloquei em cada gravação, é o "encontro de almas", como gosto de falar. Almas que se ligam através de uma forma de pensar, e que se acham e se conectam através da música. O álbum foi criado no intuito de gerar afetividade e conexão, em diversas canções eu quero nos fazer repensar o nosso senso humanitário.

VI$H: A faixa "Pés Descalços" abre o álbum com muita vibe. Na track o que você diz considerar uma alma vazia? 
Perki: Na verdade, essa expressão é uma metáfora relacionada a pessoas que vagam por aqui sem se dar conta que a vida é uma jornada de evolução. Não podemos nos manter estagnados, nem mentalmente, e nem espiritualmente. Conversas e relações que não levam a lugar nenhum eu tô fora! Devemos encontrar o nosso propósito, lutar com unhas e dentes por ele, e seguir a nossa lenda pessoal.

VI$H: O som "Olhos Mudos" carrega o nome do projeto. Como seria o seu mundo novo relatado na faixa?
Perki: Uma metáfora ao álbum e a minha nova jornada solo.

VI$H: Você pretende apresentar novos clipes do projeto? O que pode nos adiantar?
Perki: Com certeza! Além dos 3 clipes do álbum que já lancei, posso adiantar que já tem mais 2 prontos para serem lançados. Mas antes disso, vou deixar a rapaziada apreciar o álbum como um todo.

VI$H: Como tem sido a carreira do artista. O que podemos esperar do Perki após o lançamento do disco?
Perki: Pra quem não me conhece, comecei no RAP em 2013, junto dos meus manos onde criamos um grupo chamado I.n.V 165. Nesse meio tempo eu estudei, e me formei em produção musical, para lançar nossos materiais sem depender de ninguém. Trabalhamos por quase 6 anos em conjunto, lançando 2 álbuns, 1 mixtape, diversos singles, vídeo-clipes e tudo mais. Fizemos vários shows pela região sul, e ficamos bem conhecidos aqui e fora. Mas no final de 2018 decidimos parar com a banda e seguir cada um a sua carreira solo, início de 2019 então me lancei como artista solo.

Nesse tempo já lancei um projeto chamado "Rimas no Quarto", com 4 episódios, lancei também 2 singles com vídeo-clipes, fiz música tema de verão para uma rádio local conhecida e to lançando agora o meu álbum de estreia solo, "Olhos Mudos". Fiz também um Workshop na gravadora do renomado produtor musical Rick Bonadio, a Midas Music, onde enxerguei o mercado da música com outros olhos. E esse encontro me botou no "rumo certo" em direção a minha ascensão.

Como tenho um estúdio onde faço as minhas próprias produções, minha vida é de muito tempo dentro do estúdio, criando música, fazendo beats e procurando estudar sempre o melhor jeito de lançar os meus produtos, como empreendedor mesmo.

O que podem esperar de mim futuramente é muito barulho, avisa lá que to chegando! Tenho bastante material ainda pra lançar, e já adianto que o álbum não é o único lançamento desse ano. Esperem muita música e fiquem sintonizados comigo!



VI$H: Antes de terminar a entrevista, qual recado você deixa para os leitores musicais que estão te conhecendo?
Perki: O recado que eu deixo é: Procurem saber mais sobre mim, porque o meu objetivo é criar uma família gigante através da música, gente que pensa da mesma forma e que compactua com uma mensagem. Já falei que o criador de todas as minhas músicas não é só Perki, não é só Luckas, eu sou apenas a ponte, o criador mesmo é tudo e todos que trouxeram vivência, reflexão e inspiração. Quero dizer também que cada vez que vocês escutam e cantam uma música, espalham pros seus amigos, colam num show, nos mandam mensagens positivas, vocês estão criando uma história linda junto com o artista. Vocês são a parte principal da nossa carreira.

Um grande salve à todos e escutem o tão esperado álbum "Olhos Mudos"!


Siga Perki