10 mixtapes do Lil Wayne que você precisa revisitar nessa quarentena


Talvez você ouça rap há dez anos, ou só tenha começado a curtir ano passado. Talvez você tenha quinze anos, ou trinta, mas em algum momento da sua vida você ouviu alguma música do Lil Wayne, intencionalmente ou não. 

Entre prêmios e turbulências na carreira, uma das maiores conquistas do rapper foi ajudar a popularizar as mixtapes na era da internet. Claro, Wayne não foi o primeiro rapper a lançar uma mixtape, mas não tem como falar desses compilados gratuitos (que estão perdendo o significado ao longo dos anos, devido ao streaming) sem mencionar ele. 

Lil Wayne lançou mais de quarenta projetos ao longo de vinte anos de carreira e, apesar de alguns deslizes, como a tentativa de fazer um álbum de rock, a maior parte desse catálogo são obras inesquecíveis. Pensando nisso, a VI$H separou dez mixtapes que você definitivamente precisa ouvir de novo, ou pela primeira vez, se estiver morrendo de tédio na quarentena.

Da Drought 3 (2007)

Não tem como falar das melhores mixtapes de todos os tempos sem citar a lendária “Da Drought 3”. Considerada por muitos como o blueprint das mixtapes na era digital e um dos melhores trabalhos da discografia de Wayne, “Da Drought 3” é repleto de flows ácidos, metáforas inesperadas e algumas das melhores rimas da carreira dele. 

Em uma época onde projetos de rap são meticulosamente organizados a fim de atender uma estética ou conseguir uma boa nota na Pitchfork, a magia de “Da Drought 3” ainda reside na bagunça, espontaneidade e humor das faixas. 

Faixas imperdíveis: Sky’s The Limit, Upgrade, Dough Is What I Got, We Takin Over, Back On My Grizzy. 



The Dedication (2005)

“The Dedication” é a primeira mixtape da série que se estendeu até 2017 e foi lançada apenas uma semana depois do “Tha Carter II”, álbum cujo Wayne entregou alguns de seus versos e rimas mais incríveis até aquele momento. O álbum iniciou o reinado do rapper no topo das paradas e, por mais que uma mixtape com remixes e freestyles de hits de outros artistas parecesse desinteressante após a atmosfera única de “Tha Carter II”, “The Dedication” serviu para mostrar que Wayne ainda não tinha chegado em seu ápice artístico.

Faixas imperdíveis: Like Dat, Motivation, Down & Out, I’m A Ridah, Weezy F Baby.



The Suffix (2005)

"The Preffix", lançada em 2004, não é uma das melhores obras no catálogo de mixtapes do Lil Wayne, mas "The Suffix", o sucessor do projeto, merece ter um espacinho na sua memória. 

Em termos sonoros, essa mixtape marcou o renascimento do rapper e abriu espaço para um aprimoramento incrível de suas técnicas líricas, que presenciamos em primeira mão com o “Tha Carter II”, lançado apenas dezesseis dias depois do “The Suffix”.

A mixtape é recheada de rimas estonteantes e ótimos beats, e se você conseguir ignorar os gritos escandalosos do DJ Khaled, você com certeza vai aproveitar muito.

Faixas imperdíveis: You Don’t Know Weezy, Damage Is Done, Fireman, We Da Kings, Give Head. 



Dedication 2 (2006)

Uma das melhores mixtapes de todo o catálogo do rapper, "Dedication 2", que foi lançada um ano após “The Dedication”, é um lembrete de que a genialidade de Lil Wayne não está no que ele fala, mas no jeito único que ele articula o que quer dizer. 

Com rimas surpreendentes em quase todas as faixas e metáforas afiadas, Wayne levou sua criatividade a um novo patamar e coroou a si mesmo, mais uma vez, como o melhor rapper vivo. 

Faixas imperdíveis: Sportscenter, Get Em’, Cannon, Georgia Bush, No Other.



Sorry 4 The Wait (2011)

Composto de apenas doze faixas, sendo que onze são freestyles, “Sorry 4 The Wait” é um pedido de desculpas de Wayne aos fãs pelo atraso do lançamento do “Tha Carter IV”. 

O projeto balanceia muito bem faixas amenas e eletrizantes, mas o maior destaque é o remix inusitado de “Rolling In The Deep”, da Adele, que tinha tudo para dar errado, mas Wayne conseguiu encaixar um ótimo flow e punchlines com maestria. 

Faixas imperdíveis: Marvin’s Room, Tunechi’s Back, Sure Thing, Groove St. Party, Hands Up. 



Dedication 3 (2008)

“Dedication 3” pode não ter sido grandiosa como as antecessoras, mas foi nessa mixtape em que Lil Wayne mergulhou completamente no uso excessivo do auto-tune. Lançada no mesmo ano que "Tha Carter III", a terceira edição da série mostra um lado mais desleixado do rapper. 

Após o sucesso explosivo "Tha Carter III", que vendeu mais de um milhão de cópias na primeira semana de estreia, Lil Wayne estava curtindo um sucesso nunca presenciado antes na carreira dele, e conseguimos ouvir isso nitidamente em "Dedication 3".

Faixas imperdíveis: Dick Pleaser, She’s A Ryder, Got That Gangsta, My Weezy, Put On For The Game.



No Ceilings (2009)

Antes de passar oito meses na cadeia por posse ilegal de armas, Lil Wayne lançou a mixtape “No Ceilings”, repleta de remixes inesperados  honestamente, ninguém poderia prever um remix de “I Gotta Felling”  e rimas poderosas.

“No Ceillings” é sem dúvidas uma das mixtapes mais populares do rapper, provavelmente por que em 2009 mudanças drásticas na forma de consumir música começaram ocorrer, além de claro, ter sido lançada no auge da fama de Wayne. 

Faixas imperdíveis: Run This Town, Swag Surf, Sweet Dreams, No Ceiling, Single. 



The Drought Is Over 2 (The Carter III Sessions) (2007)

“The Drought Is Over 2” é um compilado de vinte faixas vazadas que supostamente eram para estar na versão final do álbum “Tha Carter III”. 

Apesar de não ser uma mixtape lançada oficialmente, igual o EP “The Leak”, e sim vazada pelo DJ The Empire, “The Drought Is Over 2” tem a marca do Wayne em todas as faixas. Além disso, é um ótimo aditivo para relembrar o auge da carreira do rapper e como o clássico "Tha Carter III" quase soou completamente diferente.

Faixas imperdíveis: I Feel Like Dying, Let’s Talk It Over, I’m A Beast, Prostitute Flange, Something You Forgot.  



Dedication 5 (2013)

Alguns amam “Dedication 5”, outros odeiam, mas não tem como negar que o projeto cumpriu seu propósito de mixtape despretensiosa e divertida muito bem. 

“Dedication 5” é mais memorável pelos artistas novatos que Lil Wayne permitiu terem um momento na mixtape. Nomes como The Weeknd, Chance The Rapper e Future são alguns dos colaboradores da tape, sendo que todos ainda estavam no começo da carreira na época. 

Faixas imperdíveis: I’m Good, Started, Way I’m Ballin, FuckWitMeYouKnowIGotIt, Type Of Way.




The W. Carter Collection 1 & 2 (2006)

Em 2006, além do “Dedication 2”, Lil Wayne também lançou o projeto “The W. Carter Collection”, dividido em dois volumes. 

Na época, Wayne focava mais em um lírico um pouco mais sério do que nos anos seguintes. “The W. Carter Collection”, apesar de não ter ganhado tanto reconhecimento, segue uma vibe parecida do “Tha Carter II” e tem ótimas tracks que merecem ser revividas, ou até mesmo descobertas.  

Faixas imperdíveis: Gangsta, When You See Me, Ain’t Got Time, Ridin With A Body, Someone Like Me.



Dedication 6 / D6 Reloaded (2017)

A mixtape começa com DJ DRAMA lembrando a todos que eles são o blueprint das mixtapes, dedicando essa sexta edição a todos os filhos e filhas de Weezy. É uma introdução perfeita e verídica para um dos projetos mais esperados de toda a série “Dedication”.

Lançado em 2017, um ano antes do aguardado “Tha Carter V”, Lil Wayne mostrou ao mundo mais uma vez que ainda tinha rimas na ponta da língua.

Faixas imperdíveis: Eureka, 5 Star, What’s Next, Fly Away, Yeezy Sneakers.