Dub-psichodelic-electronic: conheça o som de RoB

Mulher, nordestina e artista. Uma bela forma para materializarmos RoB. Mas com pilares tão potentes, sabemos que existem muitas camadas para serem descobertas aqui. A artista por muito tempo esteve envolvida com a banda King Size e, no passar de uma vida envolvida com a música, de alguma forma a artista sentiu que poderia unir diversos pontos para criar um blend particular de música e sua leitura do mundo.

Entre suas influências nomes icônicos como Bob Marley, Gorillaz, Radiohead, Massive Attack, Kraftwerk, Depeche Mode, Daft Punk, Tim Maia, Novos Baianos, Os Mutantes e Gilberto Gil.


Seu primeiro passo foi o single “Nada Lá Fora” onde pôde mostrar um pouco de seu dinamismo com uma faixa de vibração jamaicana, que flui pelas linhas orgânicas adornadas por synths. O segundo single, “Outra”, já apresenta outra faceta da artista honra o sagrado feminino, através de um discurso potente, que merece todos os holofotes. Já no terceiro single, “My Tree”, RoB resgata sua veia Reggae em uma faixa de queima lenta.



Seu último lançamento, que nos prepara para o álbum de estreia, chama-se “Set Me Free (You Keep Me Hangin’ On)" uma releitura de "You Keep Me Hangin’ On", composta nos anos 60 pelo trio Holland-Dozier-Holland, mas que com sua assinatura, ganha um toque de psicodélica com uma alma Downtempo.



Além de trazer muita musicalidade, todos os singles são acompanhados de videoclipes, uma forma que ela encontrou para expressar sua arte com ainda mais ênfase. Ao que tudo indica, a materialização de seu álbum de estreia está cada vez mais próxima. Acompanhem este nome!



Texto feito por Maria Angélica Parmigiani